sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Como fazer as bênçãos chegar em nossas casas



Houve um momento na vida de Jairo em que ele se deparou com um grande momento de dificuldade: sua filha estava morrendo. De acordo com Lucas 8.42, Jairo estava perdendo a sua única filha. Uma coisa é você perder algo que é importante dentre outras coisas importantes. Outra coisa é você perder a única coisa importante que você tem. E Jairo estava passando por isso. Jairo era um dos principais da sinagoga de sua cidade. A sinagoga é o lugar onde os judeus reúnem-se para adorar a Deus e para lerem as Escrituras, geralmente aos sábados. Jesus freqüentemente ensinava em sinagogas e confirmou isso em seu julgamento em João 18. Obviamente Jairo já deveria ter ouvido falar de Jesus em algum momento quando ele estava nas sinagogas. Naquela época Jesus já estava com seu ministério em pleno funcionamento, realizando milagres e prodígios, curando, libertando e ressuscitando, e Jairo talvez deva ter pensado que Jesus fosse sua única esperança para salvar a vida de sua filha. A fonte de salvação de sua vida. Então ele decidiu ir até Jesus, mas Jairo precisou vencer algumas coisas para que a bênção pudesse chegar até a sua casa.
1.     VENCER O ORGULHO. HUMILHAR-SE DIANTE DE DEUS
A Bíblia nos mostra que havia uma grande multidão seguindo a Jesus quando Jairo achegou-se a Ele implorando que fosse até a sua casa curar a sua filha. Jairo era um homem influente e famoso entre os judeus e muitos dos que estavam ali fatalmente conheciam a Jairo e a sua reputação. Entretanto, o versículo 22, nos mostra que Jairo não se incomodou com seu status social e nem com sua condição elevada dentre o povo e, indo até Jesus, se prostrou diante dele e o adorou. Uma coisa que um judeu não faz é se prostra diante de outro que não seja Deus – a idolatria do judeu ficou no cativeiro da Babilônia. Não deve ter sido fácil para Jairo se prostrar diante de Jesus devido às suas convicções religiosas. Mas ele venceu seu orgulho, reputação e condição social e adorou ao Cristo, em um ato de confirmação pública que agora Jesus era seu Senhor e Salvador.
O orgulho de Saul
Às vezes nós estamos dentro da igreja, mas afastados de Deus, afastados do centro da vontade de Deus e isso torna-nos orgulhosos. Por causa do seu orgulho, Saul foi rejeitado por Deus e perdeu a sua bênção. Às vezes perguntamos: “– Por que Deus não me abençoa?”, mas esquecemos que estamos com um “Saul” enorme dentro de nós.
O orgulho de Naamã (II Reis 5.1-19)
O texto bíblico declara que Naamã esperava que o profeta de Deus viesse recebê-lo à porta, – quem sabe, com um tapete vermelho, impressionado com sua riqueza, bom gosto e prestígio e faria um ritual elaborado diante dele, pelo qual estaria disposto a pagar muito bem (se resolvesse o seu problema, é claro). Mas, Deus é sábio e resolveu quebrar o orgulho de Naamã por meio do profeta, que, além de nem sair pra fora para ver “o importante general sírio”, enviou um moleque de recado para lhe ordenar que se banhasse sete vezes no barrento Rio Jordão. Naamã se revoltou. Revelou o orgulho que havia em seu coração e negou-se a cumprir a ordem do profeta. Não fossem seus soldados a convencê-lo a obedecer, Naamã teria voltado para a Síria exatamente do mesmo jeito que de lá viera. Mas seus soldados o amavam (até chamavam-no de “pai”) e insistiram com ele, e ele cedeu. Mesmo contrafeito, tomou o banho da humilhação sete vezes (o número sete é o número-símbolo daquilo que é perfeito ou completo – isto significa que Naamã foi completamente humilhado diante dos seus soldados). Quando Deus viu que Naamã se humilhou, restaurou a sua saúde!
Deus quer primeiro tirar o nosso orgulho para que realmente a bênção chegue até nós. Quantos testemunhos nós já ouvimos dizendo que tal irmão foi abençoado com um emprego, mas que após isso não teve mais tempo pra obra de Deus. Temos que entender que Deus não nos dará nada que nos afaste dele e se nos afastarmos, é por que ainda estamos pensando muito em nós. A bênção chegará a nossa casa quando estivermos realmente livres de todo orgulho, reconhecendo que dependemos de Cristo para tudo.
Tiago 4.6: “Deus resiste aos soberbos; porém, dá graça aos humildes”
2.     VENCER O EGOÍSMO ESPIRITUAL
No meio do caminho para a casa de Jairo, a Bíblia nos mostra que Jesus parou para curar uma mulher que sofria de hemorragia há doze anos. A Bíblia nos revela a condição que aquela mulher estava: sofrendo demais, sem recursos financeiros algum, e desenganada pelos médicos. Mas Jesus parou para curá-la para nos ensinar algo: em muitos momentos olhamos demais para as bênçãos recebidas pelos irmãos que nos esquecemos até das nossas.
Salmo 49.16: “Não se preocupe quando alguém fica rico, e a sua riqueza aumenta cada vez mais”.
Gálatas 5.26: “Nós não devemos ser orgulhosos, nem provocar ninguém, nem ter inveja uns dos outros”.
Evitar a murmuração
Jairo pode ter pensado: “– Mas Mestre, a minha casa está tão perto, a minha bênção está tão próxima de chegar, por que o Senhor vai parar para abençoar outro?”. E novamente: “– Por que o Senhor não me abençoa?”. Com o egoísmo espiritual sempre vem de brinde a murmuração. Quando não conseguimos entender que Deus tem seus propósitos em tudo que faz e abençoa a cada um no seu devido tempo, corremos um grande risco de murmurar contra o Senhor e realmente perder a nossa bênção.
Nossas bênçãos estão tão próximas de nós quanto a nossa capacidade de nos alegrarmos juntamente com nossos irmãos quando estes são abençoados.
3.     VENCER AS PALAVRAS CONTRÁRIAS
Outro obstáculo que Jairo venceu foram as palavras contrárias. No versículo 35 vemos alguns parentes, amigos ou conhecidos de Jairo que se achegaram a ele e disseram que sua filha estava morta. É bem provável que nesse momento Jairo tenha se entristecido com aquelas palavras ditas pelos seus a tal ponto que foi necessário que Jesus consolasse a Jairo com uma palavra, enchendo-o de fé.
Em nossa caminhada com Deus, muitas pessoas vão aparecer diante de nós tentando nos fazer sair do lugar da bênção. Mas não devemos nos esquecer que sempre quem dá a última palavra é Jesus. A última palavra é sempre a dele.
4.     CONTINUAR DE QUALQUER JEITO
“E, tomando a mão da menina, disse-lhe: Talita cumi, que, traduzido, é:
Menina, a ti te digo, levanta-te”. (Marcos 5:41)

No original grego a palavra “cumi” significa “levante, de qualquer jeito”. E é isso que Deus quer fazer hoje conosco: que nos levantamos como estamos, tomemos nossa posição diante do Senhor, neguemos o nosso orgulho e o nosso egoísmo espiritual, nos fortaleçamos com as armaduras do Senhor e resistamos as palavras contrárias, para que as nossas bênçãos cheguem em nossas casa, para que os nossos sonhos sejam realizados no Senhor.