quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Qual casa nós temos edificado - Parte 2


Antes de começar a ler essa mensagem, leia os textos de Hebreus 3.1-6, Atos 7.48-50, Atos 17.24.

Nós fomos criados a imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1.26). Somos feitura sua, criados para o louvor da sua glória. Deus colocou em nós o fôlego de vida e fomos criados para sermos sua habitação. Ele fez tudo isso para vir morar dentro de nós. Não há outro lugar onde Deus queira estar senão habitando dentro do homem.
Houve um tempo em que um homem obedeceu a Deus, então Deus começou a andar com os homens. Houve outro tempo em que o próprio Deus começou a andar no meio dos homens. Este tempo foi quando Cristo deixou a sua habitação celeste e veio habitar e andar entre nós. Mas agora é o tempo onde Deus não mais anda com os homens ou anda no meio dos homens, mas o tempo onde Deus anda dentro do homem.

A Bíblia fala nos textos que lemos, e em outros demais textos, que Deus não habita mais em templos feitos por mãos humanas. Nós somos o atual local de habitação de Deus. Nós somos morada, a Casa de Deus.

Deus edifica a casa sobre a rocha

Antes de tudo, temos que entender que Deus é que é o engenheiro, arquiteto, mestre de obras, pedreiro e pintor da nossa casa. A Bíblia diz em Salmos 127.1 que “Se o Senhor não edificar a casa em vão trabalham os que a edificam”. O Antigo Testamento nos mostra que o Tabernáculo de Moisés e o Tabernáculo de Davi eram os locais da habitação de Deus – onde a Arca da Aliança se encontrava. Era o local da presença de Deus, onde Deus falava ao povo, onde se encontravam as tábuas da lei, e onde era oferecidos louvores e sacrifícios ao Senhor. Quando Deus manda construir o Tabernáculo (de Moisés) ou restaurá-lo (de Davi), Deus dá instruções minuciosas acerca de como deveriam ser esses tabernáculos. Da mesma forma hoje, é Deus quem edifica o seu local de habitação – nós – e nos dá instruções de como devemos fazer isso. A principal instrução que o Senhor dá é que nós devemos construir a nossa casa sobre a rocha, que é Cristo.

Tempestades, inundações, ventanias ou uma boa garrafa de vinho?

Mateus 7.24-27: “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda”.

Apesar dessa parábola de Jesus ser tão conhecida muitos ainda a ignoram. E o que é prior: muitos dentro da própria igreja. Vemos hoje muitos líderes religiosos ensinando que o Evangelho é a solução de todos os seus problemas: “venha para Cristo e pare de sofrer” ou “tome a pílula de dose única do Evangelho e fique curado da depressão” ou mais ainda “invista seu dinheiro no banco do Evangelho e tenha seus problemas financeiros resolvidos”. O nosso mestre foi bastante claro ao ensinar que no mundo não estaríamos livres de aflições e lutas. C. S. Lewis, um dos maiores teólogos do sec. XX e que passou por muito sofrimento nesta vida, estava certo quando declarou: “Aqueles que querem sentir-se bem eu não recomendo o Evangelho. Recomendo uma boa garrafa de vinho”.

A grande diferença entre os que não querem saber de dificuldades ou se desesperam diante delas, e aqueles que as encaram como parte do crescimento e aperfeiçoamento da vida aqui terra, está no local a casa está sendo edificado. Se a fé e confiança estiverem baseadas apenas em crenças e religiosidade, isso demonstra que a casa tem sido construída sobre a areia. Desta forma, quando as tempestades vierem, a casa certamente não permanecerá. Entretanto, existem aqueles que escolheram edificar sua casa em terra firme. Esta é a casa edificada sobre a rocha, que é Cristo e Sua palavra. Essa casa também não estará imune às tempestades, inundações e ventanias, mas ela não será abalada nem destruída.

Mudando as coisas de lugar

Mateus 21.12-14: ”Jesus entrou no templo e expulsou todos os que ali estavam comprando e vendendo. Derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas, e lhes disse: Está escrito: ‘A minha casa será chamada casa de oração’; mas vocês estão fazendo dela um ‘covil de ladrões’. Os cegos e os mancos aproximaram-se dele no templo, e ele os curou.”

Quando eu era criança e morava na casa da minha mãe, por muitas vezes eu a vi trabalhando para arrumar e casa (e não maioria das vezes a casa estava bagunçada por minha causa). A minha mãe fazia isso por que ela não suportava ver a casa bagunçada e também por que ela recebia muitas visitas em casa e queria mostrar uma casa arrumada e bonita aos visitantes.

No capítulo 21 versículos 12 a 14 do Evangelho de Mateus, lemos um episódio em que o nosso Mestre ficou revoltado com as coisas que estava acontecendo dentro do templo: mercadores que estava lá apenas para fazer comércio. Jesus então os expulsou de lá, derrubou as mesas e cadeiras e limpou todo o templo. Após isso, Ele começou a curar os enfermos e afirmou: “minha casa será chamada casa de oração”.

Esta passagem bíblica nos traz uma aplicação para a igreja em geral. Uma aplicação bastante atual para uma igreja que tem se desviado do seu papel principal – levar a salvação através de Cristo ao homem – e tem se corrompido com “teologias da prosperidade” que estão fora de toda base bíblica. Mas essa passagem também tem uma aplicação espiritual pessoal na vida do Cristão: assim como Jesus fez no passado naquele templo, Ele quer fazer atualmente em nós, tirando tudo aquilo que está errado, que não vem de Deus, que não serve para sua glória e nos encher do seu caráter e das suas virtudes.

Jesus nos ensinou que após a limpeza, temos que ser uma casa de oração, uma casa de cura, uma casa de poder. Mas existe algo que devemos observar: assim como o templo físico (edifício) precisa de uma limpeza constante, a atual casa de habitação de Deus – nós – também precisa ser lima constantemente. E Deus faz isso pelos mesmos motivos que a nossa mãe faz quando arruma a casa: (1) Ele não suporta bagunça (no caso, o pecado em nossas vidas); (2) ele quer que sejamos bem vistos pelos nossos visitantes (ou seja, temos que refletir que somos parecidos com Cristo em tudo para as pessoas que ainda não tiveram um encontro pessoal com Deus).

“Estou em obras. Essa morada um dia será perfeição”

Filipenses 1.6: “Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus.”
I Pedro 2.5: “Vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo.”
Efésios 2.22: “Nele vocês também estão sendo juntamente edificados, para se tornarem morada de Deus por seu Espírito”
I Coríntios 3.16: “Vocês não sabem que são santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês?”

Devemos deixar o Espírito Santo nos limpar a cada dia, nos convencer dos nossos pecados e permitir que Jesus arrume todas as mesas, cadeiras, sofá, cama, que estão em posição errada em nosso templo. Não dá para ser a mesma pessoa depois que Jesus começa a morar dentro de nós.

A casa onde Deus deseja estar: a Casa de “Lázaro, Marta e Maria”

Lucas 10.38: “Caminhando Jesus e os seus discípulos, chegaram a um povoado, onde certa mulher chamada Marta o recebeu em sua casa”.
Em João 11.5 nós entendemos que Jesus amava Lázaro, Marta e Maria. Logo Jesus também amava estar na casa de Lázaro, Marta e Maria. Talvez a casa deles fosse a casa favorita de Jesus, enquanto o Mestre esteve andando sobre esta terra.

Casa de intimidade: Lázaro era amigo íntimo de Jesus (João 11.11). Foi por Lázaro que Jesus chorou como homem (João 11.35). Isso demonstra que Jesus gostava de estar na casa de Lázaro, pois se sentia bem na casa do amigo. Da mesma forma nós temos que ser amigos íntimos de Deus. E quando se fala em intimidade, se fala em se relacionar e também em passar tempo com essa pessoa.

Casa de servo: Marta servia ao Senhor Jesus (Lucas 10.39). Marta possuía o ministério de servir ao Senhor quando esse estivesse em sua casa. Da mesma forma nós temos que possuir o mesmo prazer em servir ao Senhor Jesus quando este fizer morada em nós. Todo cristão tem um ministério, ou vários ministérios, no qual Deus confia que sejam realizados obras. Não existe Cristão sem ministério assim como não existe fé sem obra (Tiago 2.17)


Casa de adoração: enquanto Marta se preocupava com o serviço na casa, Maria adorava ao Senhor Jesus. Maria queria estar diante de Jesus, para aprender, para ouvir, para adorar, para alegrar-se, para se aconselhar expondo os seus sentimentos abrindo a sua alma perante o Senhor. Deus vai começar a visitar mais a nossa casa espiritual quando verdadeiramente o adorarmos em espírito e em verdade (João 4.23).